Pular para o conteúdo principal

Postagens

Bitcoin e Ethereum #HELP

Postagens recentes

Geração "BARSA" x "MIMIMI"...

Sou de uma geração que cresceu estranha ao atual dinamismo e fartura de informações e conhecimento. Para realizar pesquisas e trabalhos eramos socorridos pela BARSA (a qual grande maioria de nossos jovens desconhece) que era disputada nas bibliotecas. Lembro como os abastados eram felizes ao ostentar sua coletânea particular sem precisar correr para a biblioteca, enfrentando cotoveladas nas disputas pelos livros.
Sim, você que estudou nos anos 90 em uma escola pública do interior e queria realmente aprender, deve ter passado situação similar.

Sou de uma geração que tinha interesse e zelo pelas coisas, pois tudo deveria ser descoberto, nada nos era dado e as dificuldades sempre latentes mantinham em nossas mentes e desejo de crescimento e sucesso..
É perceptível que fora uma criança curiosa, que no afã de compreender como as máquinas funcionavam - fosse o rádio a pilha, televisão ou a vitrola - buscava diversão, desmontando objetos e "matutando" para reestruturar os pedaços. …

Não acabou... mas quase!

Boa noite meus caros amigos! 
Tudo transcorre bem na vida e nas mentes malignas sagazes dessa galerinha que só pensa em acumular grana e enriquecer? Pois então, agora sou pobre, ou melhor, pobre sempre fui.  A melhor definição para minha atual condição é desprovido de recursos.
São tantas as explicações que fica até difícil definir uma linha de raciocínio. Quanto aos planos para este ano, só lamento, a bagunça foi enorme e tudo fugiu do controle.

A priori, apresento minhas sinceras desculpas pela ausência, mas foram tantas mudanças e delapidação patrimonial constante que acabei envergonhado, visto que a grana foi gasta até sumir e vocês continuam acumulando capital com rendimentos crescentes.
Quanto ao título, pensei em "E quem disse que a vida é fácil?", resultado da lembrança de uma música (The Scientist - Coldplay - "...Ninguém disse que seria fácil. Mas também não disseram que seria tão difícil...") associada à situação que me deparo atualmente, repleta de rec…

Do jejum ao NOBEL

Comer, nutrir as células. Para alguns um prazer, para outros apenas necessidade e há aqueles que o fazem por compulsão.
Nosso hábitos alimentares tem se transformado, seja em virtude da produção industrial ou da falta de tempo, assim empregamos pouca atenção em nossas refeições, que são realizadas em grande quantidade e pouca qualidade. Sentar-se à mesa com calma e tranquilidade, tradicionalmente em família, é tão raro que pode parecer um luxo.

Comer é bom e tem sido cada vez melhor, já que as empresas desenvolvem alimentos ricos em carboidratos para viciar nosso cérebro. Cada vez mais açúcar, sal e gordura, esse é o segredo para silenciosamente condicionar a pessoa e torná-la escrava de alimentos liberadores de endorfina, que causam sensação de prazer.

Com isso a população tem adquirido peso, ao mesmo tempo, doenças. Aproveitando-se dos males da modernidade, muito se fala, cria e inventa. Dessa forma, algumas empresas contribuem para a degradação do ser humano com alimentos nocivos …

Atualização Patrimonial - Janeiro/17

Ao reunir ideias para redigir essa publicação, indaguei-me acerca do tempo necessário para realizar (de fato) um fechamento repleto de novidades.             Minha vida financeira não possui muitos segredos, tampouco complexidade, pois quando sobra algo eu aporto, quando não, fico apenas na vontade. Como sou velho e caretão (pra não falar cagão), invisto somente em renda fixa, o que atualmente não é uma boa sacada, diante da acelerada redução da Taxa Selic.            Muitos (assim como eu) já devem estar coçando a cabeça preocupados com seus pífios rendimentos provenientes da renda fixa e atônitos para ingressar na renda variável. Imaginem esse pobre coitado que tem seus rendimentos atrelados à Taxa CDI. Tô na merda...            Estou conhecendo melhor a home broker e avaliando ações e empresas, mas ainda não me sinto seguro (cagão total). Dentro em breve diversificarei os investimentos! Vou por uns pilas lá e fazer o teste, brincar um pouco e ver como funciona, rs.

   …

Metas para 2017

Assim como a maioria das pessoas, o período de transição dos anos me submete à profundas reflexões.


"Penso no que faço, no que fiz e no que vou fazer" ( Obrigado, Detonautas!).


No princípio de cada ano analiso para onde a vida tem me levado e o que tenho feito para segurar as rédeas e decidir ativamente o caminho a ser trilhado. Existe uma sensível diferença entre o lugar em que estamos e onde queremos chegar.
Admito que no decorrer de 2015-2016 aprendi muito e consolidei meu comportamento frugal e poupador, mas ao mesmo passo foram anos muito conturbados, que demandaram muita energia e concentração. Tão complicado que por pouco não defino como negativa a progressão pessoal e profissional.
Pois bem, o tempo passa, o ano passa, mudamos constantemente. Desejos que carregava acabaram perdendo valor e foram descartados.

A seguir, elenco meus objetivos para o corrente ano:



Criar um blog;



Aí você leitor exclama: "Tá de sacanagem né "Mulambo das Moedas"? Não coleguinha, real…

Who am I?

Gostaria de saldar qualquer pessoa que por ventura acesse este blog, diante da existência incontável de outros, sobre tudo de investimentos e divagações relativas à finanças.Em meados de 2015 percebi que minha busca pelo êxito profissional, bem como pessoal, se mostravam contraproducentes. Gastos desordenados e sem controle- apesar de realizar um budget mensal- drenavam meu capital, não havendo sobras para realizar aportes ou um colchão de segurança na famigerada poupança. No quesito profissional passei a notar letargia, não havia progresso, acompanhei a inflação degenerar minha remuneração e assim como os demais ruminantes (que trabalham comigo), eu reclamava, porém não criava soluções para a inquietação que me assolava.
Faço aqui um parentese para esclarecer que ao utilizar o termo ruminantes para mim e meus colegas de trabalho, comparo nossa capacidade de agir com a destes animais, pois não demonstramos proatividade para solucionar os problemas financeiros, apenas seguimos em frente…