quinta-feira, 8 de junho de 2017

Não acabou... mas quase!


Boa noite meus caros amigos! 

Tudo transcorre bem na vida e nas mentes malignas sagazes dessa galerinha que só pensa em acumular grana e enriquecer? Pois então, agora sou pobre, ou melhor, pobre sempre fui. 
A melhor definição para minha atual condição é desprovido de recursos.

São tantas as explicações que fica até difícil definir uma linha de raciocínio. Quanto aos planos para este ano, só lamento, a bagunça foi enorme e tudo fugiu do controle.


Cara do pessoal ao ver que retornei dos mortos, rs..

A priori, apresento minhas sinceras desculpas pela ausência, mas foram tantas mudanças e delapidação patrimonial constante que acabei envergonhado, visto que a grana foi gasta até sumir e vocês continuam acumulando capital com rendimentos crescentes.

Quanto ao título, pensei em "E quem disse que a vida é fácil?", resultado da lembrança de uma música (The Scientist - Coldplay - "...Ninguém disse que seria fácil. Mas também não disseram que seria tão difícil...") associada à situação que me deparo atualmente, repleta de receios e transformações. Sempre soube que era difícil, mas a vida está de parabéns no que diz respeito a surpreender e fazer-me perder noites de sono. No entanto o título escolhido faz alusão a possível dúvida que surge: Quase acabou o blog? O dinheiro? Mas o que diabos está se esgotando? rs...

Vou elencar os acontecimentos para norteá-los:

  • Mudei de município;
  • Estou morando com a mosca chefe (morando com a namorada, casei, fodeu);
  • Comprei um carro;
  • Abriremos uma empresa;

Bem hardcore e diferente dos meus planos para 2017. Admiro as pessoas que conseguem manter suas vidas na rota planejada, pois desde que atingi a maioridade e saí da casa de meus pais os anos são repletos de reviravoltas.
Sei que muitos ao lerem os fatos acima elencados olharão com pesar e terão a certeza que fracassei na vida, visto que são sucessões de escolhas inapropriadas, ou não.

Mas vamos aos fatos: Agora eu moro em um município que fica aproximadamente 200 km do meu trabalho, já pensou que loucura? 
Tudo começou com a decisão de cursar medicina, como não sou autodidata procurei um curso preparatório de qualidade em uma cidade menos provinciana, que consequentemente fica distante do meu trabalho. Com isso tive que adquirir um sofá com rodas carro.
É pessoal, comprei por necessidade, mas continuo militante no que tange ao fato de automóveis empobrecerem as pessoas. Era muito feliz andando de motoca e sinto falta, pois meu budget mostra que em 90 dias gastei 5x mais dinheiro abastecendo o carro do que nos 8 meses que andei de moto.
Pense bem, 3 meses de carro seriam equivalentes a 40 meses de moto, isso só em combustível, fora IPVA, revisões, seguro ...caraca!
Apesar que estou rodando bem mais para trabalhar, isso deve ser considerado, mas na ocasião avaliei apenas o quesito gasto sem pensar em quanto gastaria de moto para rodar essa nova e elevada distância até o trabalho. Mas de todo forma o consumo do carro é de 13km/l e a moto 60km/l, ê saudade que bate no meu coração (Vlw, Jamil e uma noites, rs!)

Enfim, além disso minha digníssima namorada (que agora dizem ser minha esposa) mudou-se comigo pois recebeu uma proposta de emprego em sua área de atuação e formação. Com isso a expectativa é que em pouco tempo passe a ganhar mais que eu, o que não é muito dinheiro, mas é uma maravilha. 
É importante ressaltar que há anos venho conversando com ela sobre as ideias frugais, inclusive ela pode acompanhar minha transição de playboy sem futuro para uma pessoa que busca consolidar patrimônio e alcançar a independência financeira.
Sendo assim ela mudou muito também e como eu dizia, há anos tenho compartilhado com ela as coisas que aprendi nos blogs e temos uma sintonia incrível neste quesito e em vários outros.
Não consigo imaginar uma pessoa melhor para compartilhar meus sonhos, planos e minha vida. Estes primeiros 90 dias de casados "juntados" foram surpreendentes!

Pois bem, sobre os cursos, as instituições de ensino cobram valores muito altos, maiores que mensalidades de cursos de direito ou engenharia civil nas unesquinhas, fator que fez com que nenhuma conseguisse pessoas suficientes para formar turma. Com isso, me mudei, comprei carro, me estabeleci e uma instituição seguida da outra me frustrou apenas apresentando seus pedidos de desculpa. Rodei!
Ainda bem que a mosca chefe conseguiu um emprego bacana e isso ajuda muito na questão financeira, pois conseguimos pagar as despesas e aportar entre 40-50% de nossas rendas!

Um adendo pertinente quanto ao apelido carinhoso de minha nobre senhora; À primeira vista posso parecer grosseiro e desrespeitoso, entretanto temos um relacionamento pautado na alegria e tolerância, deste modo tenho a liberdade de usar expressões que visam provocar e causar risadas.

Até o presente momento tenho assistido minhas moedas serem gastas, inicialmente com o carro e depois com para realizar a mudança e organizar o lar. 
Estipulo que foram gastos aproximadamente R$5.000,00 para mudarmos e organizarmos nosso apartamento e paguei R$33.000,00 no veículo popular e usado que conduzo.
Para quem viu meu patrimônio no inicio do ano, sabe que só aí gastei mais de 50% do capital que possuía.

Mas o melhor está por vim! Morando nessa nova cidade, populosa e promissora, recebemos a proposta de nos tornarmos sócios de uma franquia com grande fluxo de venda e rendimento.
Deste modo, resolvemos pegar o dinheiro restante mais os aportes realizados durante este ano e abrir nosso próprio negócio (ou quase)!Percebemos que a venda de remédios e perfumaria em geral apresenta alta lucratividade, visto que as franquias facilitam a aquisição de mercadoria com valor extremamente competitivo.


Nosso empreendimento em pelo vapor! kkk. Não..Pera...


Com a módica quantia de R$80.000,00 seremos sócios minoritários (hahaha) de uma franquia de uma grande rede, (WTF??!!) porém atuando diretamente e administrando. 
Parece uma baita furada, eu sei, mas a expectativa é de bons retornos em aproximadamente 6 meses, visto que estamos montando o empreendimento do zero, bem como adquirindo experiência no ramo.

Como dizia, os planos mudaram completamente, me vejo trilhando novos caminhos e sem nenhum tostão, pois até o colchão de segurança se foi para aplicar na empresa. Arriscado, mas são as escolhas que fazemos durante nosso percurso. 
Costumo dizer que é preferível quebrar a cara ao escolher enfrentar os desafios do que ficar de cara pra cima pensando que se tivesse feito determinada coisa estaria melhor que hoje. Posso me arrepender do que faço, porém o arrependimento de não ter feito, acompanhado da ilusão do sucesso, são dolosos e angustiantes.

É galera, mas o plano segue! Sigo aguardando a abertura de turma nos cursos preparatórios e quem sabe o empreendimento será vital para custear a mensalidade de medicina?! Veremos...
No mais, aceito dicas, conselhos e orações, kkkk... 

PS: Não tem mais fechamento de mês, pois não tenho mais dinheiro, não tenho mais nada, só eu a mulher e nosso rottweiler, o Midnight, kkkkk. Posso realizar fechamento de dívidas, só se for, rs, essas tem crescimento exponencial, diferente dos meus antigos investimentos...


Até breve!






domingo, 5 de fevereiro de 2017

Do jejum ao NOBEL

Comer, nutrir as células. Para alguns um prazer, para outros apenas necessidade e há aqueles que o fazem por compulsão.

"Bastante alface, por favor! Pois estou em dieta!! "
Nosso hábitos alimentares tem se transformado, seja em virtude da produção industrial ou da falta de tempo, assim empregamos pouca atenção em nossas refeições, que são realizadas em grande quantidade e pouca qualidade. Sentar-se à mesa com calma e tranquilidade, tradicionalmente em família, é tão raro que pode parecer um luxo.

Comer é bom e tem sido cada vez melhor, já que as empresas desenvolvem alimentos ricos em carboidratos para viciar nosso cérebro. Cada vez mais açúcar, sal e gordura, esse é o segredo para silenciosamente condicionar a pessoa e torná-la escrava de alimentos liberadores de endorfina, que causam sensação de prazer.

Com isso a população tem adquirido peso, ao mesmo tempo, doenças. Aproveitando-se dos males da modernidade, muito se fala, cria e inventa. Dessa forma, algumas empresas contribuem para a degradação do ser humano com alimentos nocivos e outras, por sua vez, aproveitam para lucrar ofertando inúmeros produtos diet/light: shakes, sopas, barras de cereais, grãos, inclusive o apelo em comer de 3 em 3 horas, etc. Isso sem falar na "máfia" das indústrias farmacêuticas com seus medicamentos mágicos, bem como médicos e procedimentos inovadores, ou nutricionistas com sua base alimentar retrograda e equivocadaOu seja,  de todas as formas querem estuprar seu bolso! Veja como é incrível, você gasta para alimentar-se e também para cuidar bem da saúde e perder peso, sempre consumindo e gastando.


Olha o Japa aí explicando como funciona a parada!

Eis que surge o japa (Yoshinori Ohsumi) da imagem acima, laureado com o Nobel em Medicina em virtude de seus estudos relacionados aos benefícios do jejum. Ele explica que jejuns são benéficos e levam o corpo a autofagia, onde as células em busca de alimento degradam suas partes ruins, ocorrendo uma autolimpeza do organismo. Acrescenta que a longo prazo além de contribuir para o equilíbrio do organismo, aumenta a longevidade.


Isso mesmo meu jovem, não comer faz bem (Segundo o Japa Nobel)!

Hã?? Que papo é esse??

Compreendo que muitos relutarão em opor-se ao conhecimento nutricional tradicionalista pois cresceram recebendo estímulos para comer. Exemplo disso são os familiares (em especial avós) com seu conhecimento milenar, que sempre dizem que você deve "comer para ficar forte". 

Saibam que o conhecimento nutricional tradicionalista é resultado de décadas de pesquisas financiadas por multinacionais do ramo de alimentos, as quais sugerem que carboidratos dão energia e devem ser priorizados, que são a base da pirâmide alimentar, blá blá blá.. E não me venha com papo de exercício e o escambau, pois a alimentação é oitenta por cento responsável pela manutenção do peso e o restante provém da atividade física.

Outrossim, é oportuna esta discussão, visto que muito falamos em investimentoscarreira e dinheiro, mas acabamos negligenciando nossa saúde em detrimento do sucesso e independência financeira.
Aí tu me diz: "Pô cara, tá sugerindo que devemos passar fome para investir?". 
Não se trata disso, tampouco quero transformá-los em monges, o ponto é a pertinência deste assunto na seara da frugalidade e consumo consciente. Pois, sabemos que o maior gasto de muitas famílias é justamente a alimentação, adquirem produtos caros e industrializados que só fazem mal.

Gostaria de frisar que não sou médico, tampouco aconselho jejum às pessoas, apenas compartilho este assunto para debate. Quanto a mim, sou adepto à jejuns diários e tal prática só me traz benefícios, embora deva admitir que conheço pessoas que sentem desconforto ao realizá-la.

De toda forma, neste ambiente repleto de pessoas que muito prezam por seu dinheiro e possuem aguçado senso crítico, proponho a reflexão e estudo complementar (aos que tiverem interesse), da possibilidade de implementar periódicos jejuns que além saudáveis, podem gerar economia, seja ao deixarmos de adquirir produtos para emagrecimento ou na própria redução da quantidade desmedida de alimentos que atualmente consumimos.

Abandonemos a inércia e larguemos velhos dogmas que não nos beneficiam! Compartilhemos experiências e informações variadas para que possamos evoluir!

Sucesso a todos!






sábado, 28 de janeiro de 2017

Atualização Patrimonial - Janeiro/17

             Ao reunir ideias para redigir essa publicação, indaguei-me acerca do tempo necessário para realizar (de fato) um fechamento repleto de novidades.
            Minha vida financeira não possui muitos segredos, tampouco complexidade, pois quando sobra algo eu aporto, quando não, fico apenas na vontade. Como sou velho e caretão (pra não falar cagão), invisto somente em renda fixa, o que atualmente não é uma boa sacada, diante da acelerada redução da Taxa Selic.
           Muitos (assim como eu) já devem estar coçando a cabeça preocupados com seus pífios rendimentos provenientes da renda fixa e atônitos para ingressar na renda variável. Imaginem esse pobre coitado que tem seus rendimentos atrelados à Taxa CDI. Tô na merda...
           Estou conhecendo melhor a home broker e avaliando ações e empresas, mas ainda não me sinto seguro (cagão total). Dentro em breve diversificarei os investimentos! Vou por uns pilas lá e fazer o teste, brincar um pouco e ver como funciona, rs.

Aquela concentração pra partir pra renda variável.

             Pois bem, tenho um punhado de moedas em  LCI's e CDB's, com rendimentos que variam entre 92 e 100% do CDI. Nada mais e nada menos.

Quem me deras ser esse o valor! 

              Esqueçam essa tabela aí de cima, pois só ganhando na loteria para ter tal montante. Coloquei ela aí pra assustar o leitor que por ventura esteja passando os olhos despretensiosamente por esta página, kkkk.  Pois bem, deixando a zoeira de lado, encerrei Janeiro/17 com apenas R$74.819,10 conforme tabela a seguir:

Tá aqui minha riqueza! Rs..

             Tentei realizar um fechamento de Dezembro/16 à Janeiro/17, mas foi um caos! São vários lançamentos pequenos em bancos e cooperativas, sendo que em algumas dessas recebo o extrato presencialmente. Dessa forma, estes são de dias distintos do mês, incorrendo em erros graves na rentabilidade, pois alguns seriam lançados com apenas 28 dias e outros com 34 dias corridos. Sem contar que acabo girando o patrimônio e mudando alguns investimentos de instituição e realizo o saque de algum valor. Traduzindo, uma confusão danada para organizar a tabela e ficar direitinho. Agora quero saber quanto cada aplicação rende individualmente (nessa tabelinha bacana que vocês usam e passei a usar).
            Para não entusiasmar os colegas com falsas taxas, no próximo mês farei o fechamento exato e fiel a minha realidade, embora esteja quase certo de que o rendimento de dezembro à janeiro tenha sido 0,90% a.m líquido.
               E sim, janeiro sem aportar, total derrota, mas resolvi ajudar um amigo e acabei emprestando dinheiro destinado ao aporte deste mês. Tenho um bom coração, não quero ver um brother sofrendo nas garras do rotativo do cartão, é desumano! Sei bem pois já passei muitos meses na pindaíba. E o melhor, emprestei sem cobrar juros, sou quase um papai noel, kkkkkkkkkk. Mas o cara é muito amigo e já orientei ele sobre como gerir suas finanças.
              Enfim, estas são minhas moedinhas que com muito custo (e carinho) venho "cultivando". Chegando nos três milhões aí já posso "viver de renda", como tantos dizem, kkkk.

E caso haja vagas nos rankings da blogosfera, gostaria de participar! Obrigado!


Sucesso a todos! 





domingo, 22 de janeiro de 2017

Metas para 2017

Assim como a maioria das pessoas, o período de transição dos anos me submete à profundas reflexões.


"Penso no que faço, no que fiz e no que vou fazer" ( Obrigado, Detonautas!).


No princípio de cada ano analiso para onde a vida tem me levado e o que tenho feito para segurar as rédeas e decidir ativamente o caminho a ser trilhado. Existe uma sensível diferença entre o lugar em que estamos e onde queremos chegar.
Admito que no decorrer de 2015-2016 aprendi muito e consolidei meu comportamento frugal e poupador, mas ao mesmo passo foram anos muito conturbados, que demandaram muita energia e concentração. Tão complicado que por pouco não defino como negativa a progressão pessoal e profissional.
Pois bem, o tempo passa, o ano passa, mudamos constantemente. Desejos que carregava acabaram perdendo valor e foram descartados.

A seguir, elenco meus objetivos para o corrente ano:



Criar um blog;


Minha alegria ao criar o blog.


Aí você leitor exclama: "Tá de sacanagem né "Mulambo das Moedas"?
Não coleguinha, realmente o presente blog faz parte dos projetos, já que tenho acompanhado há quase um ano a interação dos amigos da blogosfera e acho criativa a troca de conhecimento, bem como a competitividade sadia.
Mal começou o ano e já desenrolei essa parte, ponto pra mim!


Correr diariamente;


Minha performance as 05:30 da matina.



Aqui tá tranquilo também, apesar de faltar um dia ou outro, estou conseguindo acordar as 05h30min (quase) diariamente para correr. Não é fácil, pois qualquer deslize acarreta atraso nos compromissos e nós singelos assalariados sabemos a dor de cabeça que é chegar ao trabalho depois do horário .


Aperfeiçoar idiomas (Português, Inglês, Alemão e Francês);




Alles blau? Wie geht's dir?


Começo elencando português, pois considero de grande valia. Estudarei as regrinhas aprendidas outrora, na fase escolar, pois melhorarão não apenas meu vocabulário, mas a escrita. Como já devem ter percebido não sou escritor, nem sei como escrever de maneira adequada, posicionando corretamente as palavras conforme as orações exigem, apenas digito e sai cagado mesmo, assumo a derrota.
Quanto ao inglês, sou guerreiro. Não frequentei, tampouco frequento, aulas ou cursos. Sou aquele curioso que ouve podcasts, lê livros em inglês, tira onda no Duolingo e baixa o que vê na net relacionado à inglês. Me falta foco e continuidade, pois somente com esforço diário subirei de nível no meu "the books is on the table" .
O alemão pela familiaridade, pois muitas pessoas de meu convívio são fluentes (em virtude da descendência). Eu por minha vez, sei algumas palavras e frases, estando habituado com os sons e pronúncias. Para o alemão uso os mesmos critério do inglês, embora seja muito mais difícil e cansativo o estudo autodidata, já que em inglês rende bem mais. 
O francês (apesar de muitos terem preconceitos arraigados eu função da pronúncia) surgiu como forma de diversificar, quando me encontrei entojado das outras línguas resolvi brincar com o francês e gostei.
Apesar da extensa meta, admito que se o inglês melhorar já tá muito bom, rs.


Estudar para o ENEM;


Bora ralar galera!



Sei que muitos darão risadas pensando que um oldschool como eu já passei da época do ENEM, e que talvez já não seja capaz. No entanto, costumo sempre me perguntar: "Mas quem disse que não consigo?". Sei que todos possuímos limitações e inúmeros fatores colaboram para nosso insucesso. De veras, as aptidões devem ser observadas, mas creio que o fator decisivo é a nossa determinação.
Tenho amigos professores que não gostam da área que atuam, inclusive são pouco hábeis, pois claramente a vocação deles é voltada para humanas, mas optaram por exatas e dessa formar ganham a vida.
Vejo que é possível, apesar de realizar com menor desempenho que outras pessoas mais habilidosas e jovens, mas não tô nem aí, vou cuidar da minha vida e seguir em frente, pois como diz um conhecido: "não podemô se entregar pros homê".
Mas reflita comigo, caro leitor, estudar biologia ou tomar aquele choppinho? Ir pra pelada com os amigos ou reaprender química orgânica? Sacanagem hein?! (Como se eu gostasse de futebol, rs.)
Pois bem, sei que posso estar seguindo o rumo contrário e que além de perigoso este recomeço pode custar caro, mas irei me preparar para o ENEM (oremos, ou não).
Você pode perguntar: "Mas, Tiozão das Moedas, pra que isso?Eu te respondo pequeno padawan! 
Já havia tomado a decisão de trocar de curso superior, pois não me apetecia a ideia de permanecer limitado e refém "do sistema". Inclusive já havia escolhido o curso, quando li em alguns blogs os colegas dizendo que o "caminho das pedras" era ser empreendedor, concursado ou médico. Admito que ri bastante, pois discordo de generalismos, mas tive que concordar que a medicina é uma área difícil, respeitada e bem remunerada.
Estimulado por amigos médicos, percebi que no serviço público por mais êxito que tivesse, sempre estaria a margem dos "homens da capa branca".
Novamente me pergunto: "É difícil?" Sim, é! "É impossível?" Não, de forma alguma!
Deste modo amigos, embarco nesta jornada de vestibulando, no intuito de gabaritar o ENEM e conseguir ingressar em um curso de medicina, seja em uma federal ou não. Claro que necessito de auxílios governamentais, pois sem PROUNI ou FIES, de nada adiantará pagar uma mensalidade exorbitante em uma instituição particular e pouco restar para as despesas básicas. Por isso pagar esta fora de cogitação, vai ser na raça mesmo!
Por enquanto estou fora de casa, mas assim que regressar começarei a jornada e ficarei menos ativo na blogosfera, limitado à algumas horas nos finais de semana, quiça.


Alcançar o montante de 100 mil reais;


Haha, sou um pobre iludido!



Como dizem as pessoas, eu tenho um "courinho de rato" ou "uma gordurinha pra queimar", ou seja, alguns trocados que guardo com carinho.
Sou um singelo trabalhador assalariado e para que sobre algo, para eventuais aportes, é necessário muito esforço. Por isso, ultrapassar a margem de cem mil reais é uma meta ousada, mas as anteriores também são, então "simbóra meu povo".
Futuramente farei um post sobre as moedas que possuo, quando realizar meu primeiro fechamento mensal aqui no blog.



Diversificar os investimentos;


Como me vejo operando, rs.



Realmente preciso tomar vergonha e diversificar os investimentos. Atualmente tudo que tenho está na perda fixa (olha a treta), digo, renda fixa, entre LCI's e CDB's. Na boa, no meu caso tem sindo perda mesmo, pois são todos atrelados ao CDI 😕.
Apesar de ler constantemente e acompanhar o fechamento dos colegas, me falta confiança, não na bolsa, mas em mim operando, rs.
Este ano ingressarei, nem que seja com poucos trocados, para ir me aclimatando e aprendendo os macetes e ver na prática como a coisa funciona.

É isso aí galera, temos que planejar e sonhar, sem criatividade e organização as coisas não acontecem. A sorte geralmente nos sorri após muito trabalho, esforço e dedicação. Um bom ano para todos nós!



 Pé na estrada!


domingo, 15 de janeiro de 2017

Who am I?

Gostaria de saldar qualquer pessoa que por ventura acesse este blog, diante da existência incontável de outros, sobre tudo de investimentos e divagações relativas à finanças.Em meados de 2015 percebi que minha busca pelo êxito profissional, bem como pessoal, se mostravam contraproducentes. Gastos desordenados e sem controle- apesar de realizar um budget mensal- drenavam meu capital, não havendo sobras para realizar aportes ou um colchão de segurança na famigerada poupança. No quesito profissional passei a notar letargia, não havia progresso, acompanhei a inflação degenerar minha remuneração e assim como os demais ruminantes (que trabalham comigo), eu reclamava, porém não criava soluções para a inquietação que me assolava.
Perceba a preocupação com o futuro.
Faço aqui um parentese para esclarecer que ao utilizar o termo ruminantes para mim e meus colegas de trabalho, comparo nossa capacidade de agir com a destes animais, pois não demonstramos proatividade para solucionar os problemas financeiros, apenas seguimos em frente, bem parecidos com os animais supracitados, que não questionam sua realidade, apenas conduzem suas vidas e assim o fazem por sua incapacidade de raciocinar, diferente de nós humanos.
Nunca tive luxos, embora não exitasse em comprar algo ou gastar, claro que dentro da minha realidade, pois provenho de uma família modesta, a qual continua nesta configuração, talvez ainda mais atualmente, seja pelos infortúnios da vida ou por meus insights minimalistas e frugais, os quais adquiri ao acompanhar a "blogosfera financeira". Diante da latente insatisfação com a maneira que conduzia minha vida e ciente da necessidade de possuir um colchão de segurança, passei a pesquisar sobre dinheiro e finanças, me deparando com uma enorme gama de blogs. Desde então os tenho lido e acompanhado em anonimato, aprendendo muito e em primeiro plano adquirindo uma mentalidade consistente sobre a vida, as pessoas e o dinheiro. Aprendi que para um pequeno padawan dos investimentos, de poucos recursos, é fundamental compreender os preceitos da frugalidade e do minimalismo, sobretudo despir-se da vaidade, concentrando os recursos em prol da multiplicação destes. Percebi que a vaidade, a busca por status, a falta de senso crítico e de conhecimento, associados ao desejo de consumo são os males mais nocivos para nossa saúde financeira. Quando a pessoa compreender que é besteira esbanjar o pouco que tem em busca de prazeres passageiros ou tentando se destacar em meio a multidão através aquisições frívolas, estará mais próxima da porta de saída da corrida dos ratos.Como sempre vejo nos blogs o embate de ideias entre poupar ao extremo e ter prazeres durante esta longa "corrida do milhão"(que no meu caso é uma suave caminhada, pois vai demorar, rs) vejo que é uma questão subjetiva e aí depende da pessoa. Alguns querem um montante considerável em curto espaço de tempo, outros preferem agir com parcimônia, e há ainda aqueles que gastam um pouco mais e poderiam ser mais econômicos com similar qualidade de vida. Entretanto, a ideia basilar (que aprendi com os nobres colegas bloggers) é gastar menos do que ganhamos, para assim termos um saldo positivo. Mas é o valor do aporte que definirá o tempo necessário para conquistarmos nossa independência financeira.Pois bem, criei este espaço não somente para materializar meus pensamentos, mas para estreitar laços de amizade, pois ao falar de finanças com amigos ou familiares, uso exemplos aprendidos na blogosfera financeira e já falo: "Ahh, o colega lá do blog"; Estou tão familiarizado com vários blogs que acompanho que já os considero amigos, pois passei tempo lendo suas postagem e criei vínculo. Desta forma, nada mais justo que sair do anonimato e me relacionar com pessoas que tanto me ensinam, as quais não sabem mas exercem um papel importante no pensamento de várias pessoas, sejam estas que entram para a blogosfera, ou as anônimas, ou até mesmo aquelas que apenas leem e não participam, mas levam consigo valiosos ensinamentos.
Quem sou eu? "Tu és o vice-treco do sub-troço". (Mario Sérgio Cortella)
Afinal, quem sou eu? Apenas um homem por volta de seus trinta anos de idade, que devido ao senso de responsabilidade aguçado começou a trabalhar de maneira precoce, (antes dos quinze anos), o qual felizmente (ou não) ingressou no servidor público há dez anos e repentinamente viu seu progresso suprimido em troca de segurança e estabilidade. Que apesar de ter cursado duas graduações distintas, não as concluiu e agora parte para a terceira, confiante que dessa vez encontrou seu caminho. Um cara que é chamado pelos familiares de "Tio Patinhas" e pela namorada de "Lorde das Moedas", evidenciando que apesar do espírito nobiliárquico suas posses são irrisórias. Que mora em uma cidade interiorana e que já teve veículos e uma vida boemia ativa, mas hoje é pedestre e comedido, encontrando paz na construção de sua segurança financeira.